Ouvidos

Por que artista abandonou palco por quadro comum de saúde? Entenda risco que corria

Dua Lipa abandona show por infecção no ouvido

Infecção no ouvido não é exclusividade de bebês e crianças e precisa ser levada à sério. Recentemente, a cantora Dua Lipa sofreu com um quadro de otite aguda e precisou deixar o palco no meio de um show em Denver, nos Estados Unidos, para evitar que os efeitos da doença não causassem danos irreversíveis em seu organismo.

“Eu sinto muito em ter que parar o show desta noite. Tive uma infecção de ouvido há uns dias e achei que estaria bem [para a apresentação], mas foi doloroso demais e eu fui alertada que se eu continuasse poderia causar danos permanentes aos meus ouvidos”, escreveu a cantora em comunicado publicado em seu Instagram.

Infecção no ouvido pode trazer danos
De acordo com o otorrinolaringologista Jamal Azzam, a saída de Dua Lipa da apresentação em Denver é justificável. “A otite media é muito dolorosa. A cantora tem razão de ter se queixado. Em quadros de infecção, ocorre a sensação de ouvido tampado, o que pode atrapalhar a performance da artista, que não acerta os tons, não ouve a banda”, indica o médico.

Outro ponto levantado por Azzam refere-se à possibilidade de perda da audição provocada pela otite. Ela acontece quando há o rompimento da membrana do tímpano, responsável pela captação, vibração e transmissão dos sons nos ouvidos.

O risco ocorre quando a otite não é bem acompanhada e tratada, por isso manter o sistema imunológico forte e evitar expor-se ao vento e baixas temperaturas são medidas importantes.

“Se a membrana não vibra corretamente, o som sai ruim. Não é igual ao som de uma membrana normal”, diz o especialista, que compara o tímpano ao tecido que reveste os tambores.

Por que artista abandonou palco por quadro comum de saúde?

Infecção no ouvido: como acontece
Chamadas de otite, toda infecção de ouvido acontece pela inflamação ou obstruções da região provocadas pela presença de bactérias ou vírus.

A otite costuma ocorrer logo após gripes, resfriados, infecções de garganta ou nas vias respiratórias. É um tipo de doença bem comum em bebês e crianças, mas todas as pessoas, de qualquer idade, estão suscetíveis a este quadro de saúde.

Apesar de otite ser o nome usado para todos os tipos de infecções de ouvido, há como diferenciá-las, dependendo da região em que o microrganismo se instala na orelha.

Se a infecção acontece na orelha externa, entre a região revestida por pele, o pavilhão auricular, o conduto auditivo externo e o tímpano, então o paciente tem um quadro de otite externa. “Às vezes ocorre machucados na região. Pessoas que ficam muito tempo na água podem ter a otite externa – ou otite do nadador.”

Caso a infecção ocorra na orelha média, área em que se encontra a tuba auditiva (ou trompa de Eustáquio), então a pessoa enquadra-se em uma situação de otite média. “Esse tipo é bem mais perigoso porque traz problemas definitivos à audição”, reforça Azzam.

Sintomas de uma infecção no ouvido
Tanto a otite externa, quanto a média apresentam como sintomas uma dor muito forte de ouvido e prurido.

No caso da otite média, é comum, também, a ocorrência de diminuição da audição, febre, falta de apetite, secreção e, em situações extremas, a ruptura da membrana do tímpano – provocando a eliminação de uma secreção misturada a sangue.

Infecção no ouvido: como tratar
O diagnóstico para a otite é simples e feito a partir de avaliação clínica de um médico, seguida de análise de exames otológicos. Por isso, é importante que um especialista seja procurado aos primeiros sinais de que a doença se apresenta.

O tratamento para a otite é feito com a administração de medicamentos indicados pelos médico. “A maioria das infecções são bacterianas e usamos antibióticos e muitas vezes corticoides, além de analgésicos para tirar a dor. Chamamos atenção para não pingar nada nos ouvidos sem ordem de um especialista”, orienta Azzam.

Para aliviar as dores provocadas pela otite, o otorrinolaringologista também recomenda compressas de água mora nas orelhas. “O calor ajuda a diminuir a dor.”

Cirurgias são recomendadas para casos em que a sensação de ouvido tampado, provocado pelo acúmulo de secreções, não regride. “Existe a possibilidade de procedimento cirúrgico, mas não para o quadro de otite aguda. É para quando a pessoa tem o catarro crônico no ouvido. Às vezes ela pode ficar meses com ele.”

Como evitar a infecção no ouvido
Para evitar crise de otite, o médico recomenda manter sempre as vias respiratórias livres. “Durante a gripe, usar bastante soro fisiológico para lavar o nariz e fazer inalações.”

Azzam também recomenda cuidado na hora de assoar o nariz. Se feito com muita força, os ouvidos tendem a ficar tampados com a pressão do ar – o que pode trazer consequências ruins caso isso aconteça na companhia de secreções. “Se o catarro for junto, causa a otite.”

Vix

Sobre o autor

Dr. Jamal Azzam

Dr. Jamal Azzam

Jamal Sobhi Azzam é médico formado pela Faculdade de Medicina da USP em 1986 e especialista em Otorrinolaringologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Deixar um comentário

Clique aqui para deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.