Ouvidos

O que pode ser zumbido no ouvido: cafeína, infecção, perda da audição e mais 10 causas

O que pode ser zumbido no ouvido: cafeína, infecção, perda da audição e mais 10 causas

Todo mundo já experimentou a sensação ao menos uma vez na vida: um ruído intenso na audição que incomoda e preocupa. Na maioria das vezes, ele passa rapidamente, mas em outras pode ser crônico. A seguir, saiba o que causa zumbido no ouvido:

O que é zumbido no ouvido?
Antes de saber o que pode ser zumbido no ouvido é necessário entender sua origem. Tinnitus ou tinido é o nome dado ao fenômeno em que é criado um barulho dentro de uma pessoa que mais ninguém consegue ouvir.

O otorrinolaringologista Jamal Azzam, membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia, explica que geralmente este problema é gerado em uma parte do ouvido chamada de cóclea. Essa estrutura é responsável por transformar ondas sonoras em impulsos que chegam ao cérebro e são reconhecidos como som, tudo isso em uma parcela de segundos.

O que pode ser zumbido no ouvido: cafeína, infecção, perda da audição e mais 10 causas

No entanto, qualquer lesão na cóclea faz com que seja emitido um estímulo elétrico mesmo sem haver som exterior, gerando barulhos anormais como zumbido, apito, chiado ou pulsação.

Causas de zumbido no ouvido
Veja quais são as causas mais comuns de zumbido no ouvido:

Bruxismo
Um dos sintomas de bruxismo e de disfunções na mandíbula é o zumbido no ouvido. Ele ainda pode vir acompanhado de dor na região, na cabeça e na mandíbula.

Envelhecimento
A natural degeneração do aparelho auditivo devido à idade também pode acarretar em perda auditiva e zunido.

Estresse e distúrbios mentais
Uma pessoa estressada, ansiosa ou depressiva tem mais chances de desenvolver o ruído no ouvido, seja em consequência ou anterior a ele (visto que aumenta a sensibilidade auditiva).

Excesso de cera
Uma quantidade excessiva de cera nos ouvidos, seja por falta de cuidado ou infecção auditiva, também pode causar o problema.

Lesões
Pessoas que apresentam lesões anteriores, como no caso do barulho ouvido pela atriz Barbra Sreissand, também podem piorar conforme a idade avança.

Infecções virais
Micro-organismos causadores da rubéola, herpes, caxumba, sarampo, zika ou o citomegalovírus podem provocar infecções que lesionam o sistema auditivo.

Jejum, excesso de cafeína ou doces
De acordo com o site da disciplina de otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), o excesso de café, refrigerantes e outras bebidas com cafeína também gera o barulho.

O mesmo ocorre em relação aos doces e ao jejum prolongado que, ainda não se sabe porquê, estimulam a alteração.

Perda auditiva por ruído
Ouvir música muito alta, especialmente com fones de ouvido, prejudica a audição e acarreta em zumbido, já que força excessivamente a cóclea.

Isso ocorre especialmente porque a maioria dos fones de ouvido não impede que o barulho externo chegue aos tímpanos, fazendo com que o usuário aumente o som excessivamente e agrida a habilidade de ouvir cada vez mais.

Problemas do coração
Problemas circulatórios ou cardiovasculares e alterações bruscas na pressão arterial também podem gerar o desconforto, assim como excesso de gordura ou açúcar no sangue.

Uso de medicamentos
Alguns remédios podem ter como efeito colateral o zumbido auditivo, especialmente os antidepressivos, sedativos, antibióticos e anti-inflamatórios.

Tumor
Em casos raros, o problema pode ser gerado por um tumor no nervo do ouvido que, apesar de incomodar, não é maligno.

Consequências
O tinido no ouvido pode ser um verdadeiro tormento. Como é mais notável no período noturno, resulta em insônia e, consequentemente, atrapalha todo o descanso e a qualidade de vida do portador.

O otorrinolaringologista ainda acrescenta que o transtorno é tão intenso que está diretamente ligado à depressão e até mesmo ao suicídio.

O que pode ser zumbido no ouvido: cafeína, infecção, perda da audição e mais 10 causas

Tratamento
O tratamento varia de acordo com as causas e características do problema. Em alguns quadros, mudança de hábitos e limpeza auditiva são suficientes, em outros, são prescritos medicamentos que interagem com o sistema nervoso.

Ainda há a opção de usar aparelhos auditivos que emitem um barulho na mesma frequência e intensidade menor que o zunido, trabalhando a capacidade de o sistema nervoso se adaptar até deixar de notá-lo.

Vix

Sobre o autor

Dr. Jamal Azzam

Dr. Jamal Azzam

Jamal Sobhi Azzam é médico formado pela Faculdade de Medicina da USP em 1986 e especialista em Otorrinolaringologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Deixar um comentário

Clique aqui para deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.