Rinite e sinusite

O que é a rinite gustativa e como tratar?

O que é a rinite gustativa e como tratar?

Quando o assunto é rinite, é comum que se pense em alergia, mas nem sempre o problema ocorre desta forma – e é justamente este o tema de uma dúvida enviada ao VIX por um leitor. Por e-mail, ele perguntou “o que é a rinite gustativa e qual o tratamento?” e, segundo a otorrinolaringologista Maura Neves, apesar de também atacar o nariz, o problema é causado por fatores diferentes.

Rinite gustativa: o que é?
Enquanto a rinite alérgica ocorre quando pessoas intolerantes a certas substâncias alergênicas (como poeira, bolor, pelos de animais, pólen, fumaça de cigarro, entre outros) entram em contato com elas, provocando uma reação inflamatória que se manifesta em forma de coriza, obstruções nasais e espirros, a rinite gustativa ocorre a partir da alimentação.

Conforme explica Maura, médica da clínica Medprimus, esse tipo de rinite acontece a partir de uma alteração sensorial que faz o nariz gerar secreção ao mesmo tempo em que a salivação começa – processo estimulado pelo início da alimentação e da mastigação.

Causas
Segundo o também otorrinolaringologista Jamal Azzam, este tipo de rinite é causada por um desbalanço neural. Nosso organismo conta com o sistema nervoso simpático, que estimula a atividade dos órgãos em situações necessárias (por exemplo de estresse e alerta, entre outras), e o parassimpático, que “inibe” esta atividade e normaliza o funcionamento interno.

“O sistema simpático é responsável, por exemplo, pela contração dos vasos para que a pessoa respire melhor. Já o sistema parassimpático é o contrário, então ele leva à obstrução nasal e coriza também”, afirma ele sobre algumas das diferentes ações que cada sistema ativa nas vias aéreas a depender do momento.

Ocorre que, em algumas situações (e por razões desconhecidas), um desbalanço faz as ações do sistema parassimpático acontecerem “fora de hora” e gera os sintomas da rinite – e o momento da alimentação é uma delas.

De acordo com Maura, qualquer alimento tem potencial para desencadear essa reação. “Qualquer alimento pode causar a coriza, mas alimentos muito quentes ou muito condimentados podem causar sintomas mais intensos”, afirma ela.

Sintomas
Enquanto a rinite alérgica provoca uma reação cheia de sintomas, como coceira no nariz e olhos, espirros, lacrimejamento e até dificuldades respiratórias, a manifestação da rinite gustativa é mais discreta. Segundo a médica, ela se resume a coriza (ou seja, a produção de uma secreção transparente que escorre pelo nariz) e, ocasionalmente, obstruções nasais bem discretas.

A intensidade desses sintomas, segundo Azzam, varia de pessoa para pessoa e, enquanto algumas têm sintomas mais amenos, outras têm um desconforto expressivo.

“O incômodo pode ser extremamente intenso levando até alguns pacientes a abandonarem as alimentações coletivas. A pessoa se afasta do convívio social quando tem alimentação associada, tamanha é a coriza”, diz o médico.

De acordo com ele, apesar de o sintoma não ser algo tão incômodo como, por exemplo, uma dor ou febre, o impacto psicológico pode ser grande. “Psicologicamente, a pessoa fica muito abalada, e socialmente também. Imagina você estar do lado de alguém se alimentando e não para de escorrer o nariz?”, afirma.

Tratamento
Como o desbalanço neural que causa a rinite gustativa é, segundo Azzam, misterioso, não há tratamentos específicos para o problema – e ele também não possui cura. Em geral, quem enfrenta sintomas leves e não se incomoda com eles não precisa necessariamente buscar um tratamento, mas, para casos mais intensos, há formas de aliviar a manifestação do problema.

Conforme explica Maura, o tratamento da rinite gustativa consiste, normalmente, em conciliar os sintomas com anti-histamínicos ou corticoides de ação local, e Azzam afirma que, em geral, os medicamentos são em forma de spray. É importante lembrar, porém, que o uso de medicamentos como estes deve ser indicado pelo médico e usado conforme manda a receita.

Vix

Sobre o autor

Dr. Jamal Azzam

Dr. Jamal Azzam

Jamal Sobhi Azzam é médico formado pela Faculdade de Medicina da USP em 1986 e especialista em Otorrinolaringologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Deixar um comentário

Clique aqui para deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.