Rinite e sinusite

Alergias respiratórias

Alergias respiratórias

Olá mamães! Tudo bem?

Dia 27 de outubro fui convidada pelo Dr. Jamal Azzam para um almoço muito gostoso aqui em São Paulo onde ele nos deu uma palestra sobre os cuidados respiratórios com nossos pequenos.

Eu, Juliana, como fisioterapeuta também quero passar um pouquinho de informação a respeito das alergias respiratórias para vocês.

Que a rinite alérgica é uma situação extremamente comum e altamente incomodativa todos sabemos, e ela pode ocorrer por problemas ambientais (ácaros, pó doméstico, umidade [mofo], fumaças, mudanças climáticas, tempo seco e mais dificilmente pólen), mas também por fatores hereditários.

Todos esses estímulos causam a hiper reatividade da via aérea, causando a liberação exagerada de histamina, que causa os espirros constantes, coceira, congestão nasal e coriza.

Existem alguns tipos de rinite além da alérgica, são elas:

   1. Rinite vasomotora: causada por alterações anormais no movimento dos vasos sanguíneos das conchas nasais, que quando estão dilatados levam ao aumento do volume das conchas nasais e consequente entupimento do nariz. Procurar um otorrino é fundamental para o correto diagnóstico e tratamento, por vezes, cirúrgico.
   2. Rinite medicamentosa: causada pelo uso excessivo que vasoconstritores tópicos, aquelas “gotinhas para desentupir”, que causam efeito rebote.
   3. Rinite gestacional: o aumento da circulação sanguínea na mucosa nasal pelo efeito da progesterona sobre a musculatura lisa dos vasos sanguíneos, ocasionando um relaxamento muscular e posterior congestão nasal.
   4. Rinite do bebê: causada por uma reação alérgica à poeira ou algum outro fator que deve ser investigado pelo médico. Por causa do nariz “entupido” a criança apresenta dificuldade de alimentar-se e alteração do sono.

Devemos procurar um médico para evitar as complicações de uma rinite não tratada, como a crise asmática e as infecções secundárias dos seios da face e das vias respiratórias superiores.

A sinusite é a inflamação dos seios (sinus) da face, que são cavidades ósseas (maxilar, etmoidal, frontal e esfenoidal). A sinusite pode ser uma complicação da rinite alérgica, resfriado, desvios de septo, traumas de crânio e tratamentos odontológicos. Os sintomas podem aparecer como congestão nasal prolongada, dores de cabeça e na face, febre e secreção nasal abundante.

Uma sinusite não tratada pode levar à sérias complicações, como: meningite, abcesso cerebral ou periorbitário e sinusite crônica.

Um resfriado pode virar sinusite?
Sim! Tudo depende do estado do organismo individual de cada um.

Hidratação adequada, repouso, não oferecer estímulos negativos (cigarro, mudanças de temperatura, estresse). Ela é considerada aguda quando dura 4 semanas ou menos, subaguda quando dura de 4 a 11 semanas e crônica quando permanece por 12 semanas ou mais.

Tratamento
Deve ser indicado por um otorrinolaringologista, mas algumas dicas podem ajudar:

• Ingerir bastante água para manter a hidratação das mucosas
• Nebulização com soro fisiológico a 0,9%
• Higiene nasal com soro fisiológico
• Retirar o possível fator desencadeante da alergia

Bebê no Berço

Sobre o autor

Dr. Jamal Azzam

Dr. Jamal Azzam

Jamal Sobhi Azzam é médico formado pela Faculdade de Medicina da USP em 1986 e especialista em Otorrinolaringologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Deixar um comentário

Clique aqui para deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.