Labirintite

A alimentação interfere sobre a labirintite?

A alimentação interfere sobre a labirintite?

Labirintite, um termo que assusta a todos que a tiveram uma vez e, quem não conhece bem, não deseja conhecer! Mas, informar-se, isso sim, todos queremos.

O labirinto é um órgão do ouvido interno responsável pela coordenação e comando do equilíbrio do corpo humano. É através dele que nos mantemos em pé sem cair, com o controle dele é que andamos em linha reta e é pelo seu pleno funcionamento normal que sabemos, dentro do elevador, se ele está subindo ou descendo, mesmo de olhos fechados. Enfim, tudo que se relaciona com o equilíbrio passa pela ação do labirinto.

Quando ele não funciona corretamente, vem então a temida labirintite. Trata-se de uma situação bastante desesperadora, pois a crise apresenta-se geralmente da seguinte forma:

• acordar e não conseguir levantar-se ou andar
• sensação de tudo girando
• bastante náusea e por vezes vômitos
• muitas vezes quedas, com perigo de ferimentos

Naturalmente alguns pacientes apresentam outras formas de manifestação, com inúmeras especificidades, como não conseguir andar em linha reta, tonturas ao rodar ou abaixar a cabeça, insegurança para caminhar, zumbidos nos ouvidos, dores de cabeça, audição rebaixada, entre outros sintomas e sinais possíveis.

O diagnóstico preciso do que realmente pode estar acontecendo é através de uma consulta com o médico Otorrinolaringologista. E o tratamento irá depender da causa, mas muitas vezes podemos agir de modo geral, ou seja, ajudar quaisquer tipos de labirintites.

E é aí que entra a alimentação!

Vejam as dicas para amenizar os sintomas do labirinto:

• evitar café (pode tomar os descafeinados)
• evitar chá mate ou chá preto (pode tomar chá de erva doce, camomila, capim cidreira)
• evitar refrigerantes, todos, inclusive diet ou light
• evitar chocolate
• evitar de todas as formas a ingestão de álcool
• evitar o excesso de sal
• evitar o açúcar livre (que é o açúcar que “enxergamos”)
• evitar períodos de jejum prolongado, alimentando-se sempre de 3/3 horas
• manter sempre uma dieta balanceada e “colorida”
• evitar carboidratos de alto índice glicêmico, como doces, pão branco, mel, batata, farinha branca, etc
• tomar sempre diversos tipos de chás de ervas e chá verde
• comer diariamente 1 castanha-do-pará ou amêndoa ou nozes

A alimentação interfere muito na labirintite e devemos torna-la uma aliada, não somente de uma vida saudável, mas também de um equilíbrio melhor! Na dúvida nunca esqueça de consultar um médico Otorrinolaringologista.

Categorias

Sobre o autor

Dr. Jamal Azzam

Dr. Jamal Azzam

Jamal Sobhi Azzam é médico formado pela Faculdade de Medicina da USP em 1986 e especialista em Otorrinolaringologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

2 comentários

Clique aqui para deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.